NOTÍCIAS

BRINCADEIRA IMITATIVA PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES NO TEA
18/05/2018

BRINCADEIRA IMITATIVA PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES NO TEA

Brincadeira Imitativa para o Desenvolvimento das Habilidades no TEA - Uma Abordagem Responsiva

 

Já sabemos que crianças com Transtorno do Espectro Autista apresentam muitas dificuldades nas habilidades de atenção, no compartilhar experiências emocionais e nas habilidades de orientação social, habilidades estas fundamentais para todo aprendizado social da criança.

 

Quando a habilidade de atenção compartilhada é comprometida as crianças apresentam dificuldades em se comunicar e até no envolvimento de atividades e brincadeiras simples no dia a dia. Pois ela não consegue se colocar no lugar das outras pessoas e compreender o que os outros estão sentindo ou pensando. O que é de suma importância no relacionamento e nas trocas sociais diárias.

 

Sem a atenção compartilhada, a flexibilidade social, o contato visual da comunicação receptiva e expressiva a criança fica perdida.

 

Utiliza-se então uma abordagem interacionista fundamentada no relacionamento para a criança com TEA, esta abordagem vem investida de interações divertidas que incentivam a criança o desejo por participações espontâneas com outras crianças nas suas interações.

 

O que precisamos desenvolver na   criança é que ela seja um ser ativo na interação social e que cada vez mais possa interessar-se pelo outro, no que o outro faz e fala.

 

Nossa contribuição enquanto profissional é de que também sejamos interessados pelas crianças com TEA e que elas gostem de estar conosco e que lhe passemos segurança.

Precisamos ter uma visão que demonstre a ela, diversão, compreensão, prestatividade, amorosidade, respeito e admiração em nossas interações, oferecendo assim o que ela precisa e deseja.

 

Quanto mais a criança interagir com o profissional, mais ela aprenderá com ele e estas interações se tornarão prazerosas e de confiança e isto a motivará a querer interagir cada vez mais.

 

E brincando você pode oferecer também ideias para expandir as brincadeiras, a partir do interesse dela pode-se possibilitar mais interações e oportunidades para que as habilidades sejam trabalhadas de forma prazerosa.

 

E quando falamos em brincadeiras, falamos da brincadeira imitativa como um recurso para o desenvolvimento.

Não se deve forçar a criança brincar e sim utilizar estratégias responsivas do brincar em paralelo.

 

Quando a criança brinca em paralelo ela observa as brincadeiras de outras crianças e espelha-se ou imita essas brincadeiras demonstrando assim interesse no que o outro

está fazendo, passando assim a imitar e responder positivamente  desafios divertidos.

Pesquisas dizem que a imitação estimula o desenvolvimento das habilidades sociais, o contato visual, maior atenção compartilhada e interesse na outra pessoa ou no adulto

que também pode ser o condutor da brincadeira. Sendo assim ela pode imitar o adulto e até brincar junto.

 

Ao ser responsivo as iniciativas das crianças estaremos facilitando e encorajando mais interações com ela.

A atitude responsiva deve ser utilizada de forma estratégica, pois impor limites também é importante.

 

A atenção compartilhada ou conjunta é a base para o aprendizado social da criança.

Pensando neste tema elaboramos o III SIMPÓSIO DE AUTISMO no dia 16 de Junho na cidade de Arapongas-PR

Tema: Abordagem responsiva, metodologias e estratégias de apoio para o TEA no contexto escolar.

Venha fazer parte deste grande evento conosco.

Para realizar a sua inscrição CLIQUE AQUI.

DESTAQUES