NOTÍCIAS

DICAS PARA EDUCAÇÃO ESPECIAL E DEFICIÊNCIA INTELECTUAL EM SALA DE AULA
16/01/2018

DICAS PARA EDUCAÇÃO ESPECIAL E DEFICIÊNCIA INTELECTUAL EM SALA DE AULA

DICAS PARA EDUCAÇÃO ESPECIAL E DEFICIÊNCIA INTELECTUAL EM SALA DE AULA

O sistema educacional Brasileiro passou por grandes mudanças durante os últimos tempos, dentre elas a inclusão da educação especial e da alfabetização na deficiência intelectual, que passou a não ser mais vista como um sistema paralelo, e sim algo natural, parte fundamental das escolas.

Essa mudança revela grande quebra de paradigmas pelos nossos educadores, que estão cada vez mais buscando a especialização na educação especial.

Por isso separamos algumas dicas, para te auxiliar nesse processo, e conseguir absorver e desenvolver todas as habilidades destes alunos.

1-    OS DIFERENTES RITMOS DE APRENDIZAGEM

O professor é o norte dentro de sala de aula, guiando e auxiliando o aluno nas atividades. O papel do professor de educação especial, é mediar as atividades em que o aluno ainda não tem autonomia. Formulando estratégias em que o aluno veja de forma clara os processos da aprendizagem, e associe a sua realidade.

Quando a aprendizagem também preza pelo coletivo e organizada com base nas necessidades específicas dos alunos, irá estimular tanto o interesse quando a socialização.

1-    FOCO NAS COMPETÊNCIAS E NÃO NAS LIMITAÇÕES

Deve haver a consciência da importância de adequar seu planejamento de acordo com as necessidades em sala de aula. E claro, antes disto, estar preparado para avaliar e identificar quais são estas necessidades.

Quando conhecemos a fundo as competências de certas deficiências (física, intelectual, visual, auditiva e múltipla), podemos identificar com mais facilidade suas restrições.

E com isto encontrar alternativas, atividades, lúdicos de ensino para nossos alunos especiais. Pois o interesse e competência em desenvolver estas alternativas influencia diretamente no desenvolvimento dos alunos.

1-    A INCLUSÃO DEVE SER CONVERSADA POR TODA A EQUIPE

Estamos imersos a informações por todos os lados, o processo de aprendizagem está cada vez mais rápido e dinâmico. Por conta disto, os profissionais da educação devem estar sempre se atualizando e aprimorando seus conhecimentos e especializações.

O saber é construído através de experiências anteriores e práticas das novas experiências.

Portanto o debate e o interesse na educação especial e inclusiva devem partir de toda equipe, para que o suporte possa ser mais fortalecido.

DESAFIOS A SEREM SUPERADOS

Estamos vivendo um momento de ajustar as necessidades dos profissionais da educação às necessidades dos alunos.

Para isso, direcionemos agora nossos esforços na atuação dos gestores, no aproveitamento dos recursos e na reorganização dos sistemas de ensino, para que seja possível guiar o professor, como propulsor que é; apoia-lo a não esperar esquemas pré-definidos; e acompanha-lo na construção dos saberes.

Para que possa com autonomia, efetivar a sala de aula inclusiva e tornar-se sujeito da aprendizagem e de sua atuação profissional.

DESTAQUES