NOTÍCIAS

SOMOS TODOS IGUAIS- DIA 21 DE SETEMBRO- DIA NACIONAL DA LUTA DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA
21/09/2017

SOMOS TODOS IGUAIS- DIA 21 DE SETEMBRO- DIA NACIONAL DA LUTA DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

 

 I

NCLUSÃO COMEÇA NA ESCOLA

Dia 21 de setembro é o dia da INCLUSAO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA,e este assunto ainda precisa ser muito falado e estudado. Pois. Segundo o Censo Escolar, entre 2005 e 2011, as matrículas de crianças e jovens com algum tipo de necessidade especial (intelectual, visual, motora e auditiva) em escolas regulares cresceu 112% e chegou a 558 mil. 

Outro indicador do aumento da inclusão: as matriculas das crianças com deficiência em escolas especializadas e as classes exclusivas nas escolas comuns caiu 48% de 2005 para 2011, quando foram registradas 193 mil matrículas.

Apesar de a inclusão de crianças e jovens com algum tipo de deficiência nas escolas regulares ter aumentado nos últimos anos, são grandes os desafios de preparar os professores para mantê-las na sala de aula com os demais colegas, e de receber as crianças que ainda estão excluídas.

O modelo de só transmitir o conhecimento do currículo básico já não é mais suficiente. 

E a presença cada vez maior de alunos com deficiência intelectual no sistema educacional convencional está obrigando as escolas a adaptarem seus conceitos pedagógicos.

O objetivo mais importante para uma criança com deficiência não é aprender o mesmo conteúdo que as outras, mas ter a possibilidade de aprender a colaborar, ter autonomia, governar a si próprio, ter livre expressão de ideias e ver o esforço pelo que consegue criar ser recompensado e reconhecido.

?A escola é a instituição responsável por introduzir a criança na vida pública. E ninguém não pode dizer que esse aqui vai ser introduzido na vida pública e esse não!

 

SER ESPECIAL É NORMAL- A LUTA PELA INCLUSÃO

O trabalho sobre a educação Especial tem se desenvolvido muito, as teorias têm se modificado a partir de estudos e pesquisas, o pensamento e atitudes da sociedade também sofreram grandes modificações na forma como são olhadas as pessoas com deficiências.  Em tempos remotos essas pessoas muitas vezes eram excluídas, renegadas, escondidas da sociedade. De poucas décadas atrás para cá, intensificaram-se os estudo com a preocupação de diagnosticar e classificar a s deficiências, conduzindo-se assim, que a Educação especial começasse a ser encarada como um mundo à parte, que viesse a prover as necessidades de uma parte da sociedade considerada deficiente, então a preocupação era de que estes ditos deficientes passem a ser vistos como seres humanos, que independentes de suas condições, tem os mesmos direitos de se realizarem e estarem inseridos na sociedade. Sem dúvida que a escola ocupa um lugar estratégico e o papel dos educadores é de fundamental importância na discussão e articulação desse novo modelo social e político, que tem como objetivo a inclusão.  Surge a necessidade de responsabilizar cada vez mais, a Educação e a Comunidade, pela inclusão dessas crianças. A escola precisa adaptar-se, abandonando o seu caráter seletivo, discriminatório e preconceituoso.  Sabemos que precisa de mudanças e lutas por escolas inclusivas, onde todos os alunos devem aprender juntos, independente de dificuldades e diferenças que apresentam, mas sabemos que se faz necessário ter escolas apropriadas e professores com qualificação e capazes de lidar com essas diferenças, espaço propício de uma escola inclusiva, que consiga responder aos desafios e suprir às necessidades de uma população cada vez mais heterogênea e de construir um espaço onde eles possam ser aceitos e serem tratados de forma diferenciada, desde as práticas pedagógicas, organização do currículo e estratégias de ensino, apoio ao aluno, ao professor, à família e a esta escola também, para que seja realmente inclusiva e para todos.  A educação inclusiva tem sido discutida em termos de justiça social, pedagogia, reforma escolar e melhoria nos programas. No que tange a justiça social, ela se relaciona aos valores de igualdade e de aceitação

Considerando que é a segregação e a desinformação que geram o preconceito, e que isto é ruim para todos, é preciso que a sociedade seja invadida por bons motivos que permitam a convivência de todos, vendo as diferenças naturalmente, promovendo um movimento dialético, visando a informação e formação de cidadãos por inteiro.  Este conceito de inclusão envolve um jeito de pensar fundamentalmente diferente sobre as origens da aprendizagem e as dificuldades de comportamento.

Por muito tempo e longa história, na sociedade e em contextos culturais variados, dizem que existem indivíduos caracterizados como excepcionais, alguém que se destoa dos padrões ditos ?normais? que requerem cuidados especiais, maneira diferenciada de tratamento. 

Atualmente um grande número de pessoas com deficiências frequentam escolas comuns. Mas há a necessidade de refletir sobre o papel da escola para que haja compreensão e consolidação das diferenças na sala de aula, para que o professor não encontre dificuldades, ao se deparar com essa situação e este precisa se qualificar para enriquecer o ensino de forma benéfica para atender a estes diferentes.  Tanto o aluno deficiente como o sem deficiências sairão ganhando em conviverem juntos, tendo aí um ambiente desafiador, provocador, rico em experiências e relações que os estimulem e os incentivem a pensar, a conviver com a diversidade, vivenciar situações de aprendizagens diferentes, construindo conhecimentos e convivendo com novas formas de interação e comunicação, tais como libras e Braile.  A construção de uma Escola Inclusiva veio colocar na educação geral grandes responsabilidades que até hoje era da educação especial.

Precisa-se acreditar que não seja um sonho, mas é necessário que toda a sociedade como um todo, pais, profissionais, governantes, enfim todas as sociedades acreditem que a Escola Inclusiva é algo que vale a pena lutar, que ninguém admita qualquer forma de segregação.

?Ensinar exige risco, aceitação do novo e rejeição a qualquer forma de discriminação.? (Freire,p.35,1994) .

 

Fonte: G1.com ? portaldaeducacao.org.br

DESTAQUES